JOLUSI FM (Rádio Web) Clique para ouvir

33Across

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Duas músicas lançadas em três discos



     Duas das músicas gravadas por Jorge Luiz fizeram parte de tres discos produzidos e lançados pela gravadora Continental.
      “Vida Fácil”, de Eleu Salvador e Roberto dos Santos e “No Pé da Mesa”, de Rivelindo, Leon e Jean Pierre, foram integrantes do LP “ZONA FRANCA”, “A GRANDE PARADA NACIONAL DO AMOR”, músicas para um milhão de amantes; e de um compacto simples do cantor serrinhense.

Confira as letras das composições.

VIDA FÁCIL
(Composição de: Eleu Salvador e Roberto dos Santos)

DAS ESQUINAS DA VIDA FÁCIL TE LEVEI PRO ALTAR
FIZ DE VOCÊ UMA DAMA E TE DEI UM LAR.
DAS ESQUINAS DA VIDA FÁCIL TE LEVEI PRO ALTAR
FIZ DE VOCÊ UMA DAMA E TE DEI UM LAR.         

NOSSO FILHO JÁ NASCEU
E VOCÊ AINDA NÃO CRIOU JUÍZO
NÃO CUMPRE AS OBRIGAÇÕES
CHEGO TÃO CANSADO E AINDA PRECISO
CUIDAR DA CASA E DO NENÉM
POR QUE É QUE VOCÊ SE COMPORTA ASSIM?

SÓ PENSA EM SE FAZER BELA
VER SUAS NOVELAS       
NEM LIGA PRA MIM. (Bis)
                                          
SE VOCÊ NÃO CRIAR JUÍZO E ASSUMIR NOSSO LAR
LEVO VOCÊ DE VOLTA PRO MESMO LUGAR.
SE VOCÊ NÃO CRIAR JUÍZO E ASSUMIR NOSSO LAR
LEVO VOCÊ DE VOLTA PRO MESMO LUGAR.


NO PÉ DA MESA
(Rivelindo, Leon e Jean Pierre)

AINDA VOU LHE AMARRAR NO PÉ DA MESA                                                                         
PRA TER CERTEZA QUE VOCÊ NÃO VAI SAIR
TENHO CIÚMES DOS SEUS PASSOS, DOS SEUS SONHOS
NÃO DAREI CHANCES PARA VOCÊ ME TRAIR.
                             
VOCÊ PEDIU UMA TV E EU LHE DEI
VOCÊ PEDIU UM TOCA-FITAS E EU COMPREI

AGORA FICA DECIDIDO E SEM TALVEZ
FICA COMIGO OU VÁ EMBORA DE UMA VEZ.
AGORA FICA DECIDIDO E SEM TALVEZ
FICA COMIGO OU VÁ EMBORA DE UMA VEZ

TROUXA É O HOMEM QUE DEIXA SUA AMADA
FICAR BATENDO ASAS, VOANDO POR AÍ
TROUXA É O HOMEM QUE AGORA RI DE MIM
NÃO SEI SE A DELE É DELE A MINHA SEI QUE SIM.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O quinto disco: “Compacto-Simples” com participação de Harmony Cats e Os Carbonos



Devido ao sucesso de vendas e de execuções dos LPs “Zona Franca” e “A Grande Parada Nacional do Amor”, o Produtor e Compositor Sebastião Ferreira da Silva, atendendo também a solicitação de Jorge Luiz e J.B. Araújo intercedeu junto a Continental para que fosse extraído um compacto-simples com as músicas: Vida Fácil (composição de Eleu Salvador e Roberto dos Santos) e No Pé da Mesa (de: Rivelindo, Leon e Jean Pierre).
O lançamento ocorreu no segundo semestre do ano de 1981.
Vale destacar que as composições tiveram a participação do Conjunto Musical Os Carbonos e do Coral Harmony Cats


O Harmony Cats foi um quinteto vocal de disco music formado na cidade de São Paulo (SP), em 1976. Tinha inicialmente como componentes cinco vozes: Cidinha (Maria Aparecida de Souza), Rita (Rita Kfhoury), Heleninha (Maria Helena Violin), Maria Amélia (Maria Amelia Costa Manso) e Vivian (Vivian Costa Manso).
# Primeira fase
O conjunto iniciou a carreira com o nome de “Bandits of Love”.


Em 1980 o grupo virou um trio, e começou a participar ativamente dos principais programas de auditório da época, especialmente o Qual É A Música. No mesmo ano, elas lançaram um de seus maiores sucessos, ” Felicidade (Margarida)”, além de outras versões em português de hits como “A Terra do Faz de Conta” (versão de “Land of make believe”, do grupo Bucks Fizz) e “Ela Dança” (versão de “Maniac”, da trilha do filme Flashdance). Infelizmente o grupo encerrou as atividades em 1985, e cada uma delas seguiu em caminhos distintos.


OS CARBONOS
Foi um dos conjuntos pioneiros na reprodução fiel de sucessos estrangeiros, fazendo o que atualmente se convencionou chamar de "cover". Integrado por três irmãos, sendo dois gêmeos, que eram sobrinhos dos Trigêmios Vocalistas. Apresentou-se no início como The Witchcraft, e posteriormente mudou o nome para Os Quentes, com o qual lançou um compacto pelo selo Mocambo/Rozenblit.

Em 1966, por sugestão da gravadora Beverly, adotou o nome Os Carbonos, referência tanto à aparência semelhante dos irmãos, como à opção do conjunto por fazer versões idênticas de sucessos internacionais. Lançou vários discos nessa linha, obtendo bastante êxito. Músicos de estúdio requisitados, acompanharam alguns integrantes da Jovem Guarda, entre eles Paulo Sérgio e Wanderley Cardoso.

Gravou também com artistas mais relacionados ao estilo que se convencionou chamar de "brega", como Nelson Ned, Morris Albert e a dupla João Mineiro e Marciano. Em 1968 lançou pela Beverly o LP "As 12 mais da juventude". Ao longo da década de 1970, modificaram o nome diversas vezes. Apresentaram-se como Andróides, The Mackenzie Group, Carbono 14 e The Magnetic Sounds. Com o último, gravou a série de LPs "Super erótica", na qual acompanharam os cantores Gilbert e Norma Aguiar. Recentemente fez shows e gravações com o cantor Gilliard. Ao longo dos anos 1970 gravou diversos LPs, entre os quais, "Seleção de ouro", "Dez super sucessos" e "12 mais da juventude volume 2", todos pela Beverly.


Hoje
Os Carbonos continuam na ativa como musicos, maestros e produtores musicais oferecendo seus serviços em sua própria produtora chamanda "Carbonos Studio" Carbonos Estudio

RESUMO
Grupo vocal e instrumental de rock formado no início da década de 1960, em São Paulo (SP).

Formação
Mário Bruno Carezzato - São Paulo p 1942: teclados
Umberto Carezzato Sobrinho - São Paulo - 1946: baixo
Raul Carezzato Sobrinho - São Paulo - 1946: vocal
Ricardo Fernandes de Morais - São Paulo: guitarra
Antônio Carlos de Abreu - São Paulo - 1946: bateria

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A primeira música de Jorge Luiz

Na foto: Jorge Luiz cantando no Programa Domingo em Festival,
na Capital Sergipana, em 1970, acompanhado pelo Conjunto SOM BIDU.

  Apesar de ter ganhado um violão de presente aos 8 anos de idade, oferecido pelo seu pai, em Serrinha-BA, somente teve a sua tendencia musical revelada, algum tempo depois em Aracaju.
  Aprendeu a tocar violão por conta própria recebendo a influencia de Otaviano Canuto Filho (Tacão) e Luiz Tarcísio (Luizinho), seus vizinho na Rua Geru, na capital sergipana.
    Dois meses foram suficientes para assimilar as noções básicas.
   Aprendeu a tocar “É Meu, é meu, é meu”, sucesso do rei Roberto Carlos, Última Canção, primeiro grande sucesso de Paulo Sérgio, que começou imitando o filho de Lady Laura, entre outras.

   Daí teve a iniciativa de compor a sua primeira música.
   Exatamente em julho de 1968, compôs “Primeiro Amor”.
   Composição inspirada na namoradinha que começava a despertar o seu coração juvenil e baseada no ritmo romantico-jovem do Rei da Juventude Brasileira, o inimitável Roberto Carlos.

  No entanto somente em outubro de 1970 se revelou publicamente através do Programa de Auditório, “Domingo em Festival”, apresentado pelo bidu Luiz Trindade e levado ao ar pela Rádio Cultura de Sergipe todos os domingos, as 20h00.

     Depois fez parte de vários conjuntos musicais, iniciando com “OS BÁRBAROS”, ao lado de Tacão, Luizinho e outros.

Veja a letra da primeira composição, ainda inédita.

Primeiro Amor
Letra e música de: Jorge Luiz da Silva

Quando eu te avistei
Quando eu te conheci
Logo me apaixonei
Pois notei algo em ti

Que chamava-me a atenção
E uma chama inflamou
Atraindo o meu coração
Era o meu primeiro amor

Eu gosto muito de ti
Que é tudo enfim
Mas ainda não descobri
Se gostas de mim

Se gostasse de mim
Que contente eu seria
O que quisesse eu daria
Eu daria, eu daria sim.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Homenagem de Jorge Luiz ao novo compositor cearense



Em retribuição ao importante apoio dado pelo amigo cearense José Bernardo de Araújo, desde o lançamento do primeiro comparto-simples, em 1978, na Capital Paulista, o cantor Jorge Luiz decidiu homenageá-lo gravando duas músicas de sua autoria no compacto-duplo lançado pela Condor Discos, em 1979 e de quebra ainda batizou artisticamente o novo compositor, utilizando as iniciais do seu próprio nome e mantendo o seu sobrenome.
Assim nasceu oficialmente: J. B. Araújo.

Confira as letras das quatro composições que integraram o disco

VOLTE CORRENDO
(Letra e Música de: J.B. Araújo)

EU GOSTARIA DE DIZER
BAIXINHO EM SEU OUVIDO PALAVRAS DE AMOR
DAQUELAS QUE A GENTE NÃO ESQUECE
E LHE AQUECER COM O MEU CALOR.
VOLVER SEU CORPO COM ESTES MEUS BRAÇOS
E LHE ENTREGAR A MINHA VIDA
SENTIR-ME AGORA COM VOCÊ QUERIDA
É UM DESEJO MEU, É UM DESEJO MEU (BIS)
MAS A SAUDADE AO MACHUCAR MEU PEITO
ME FAZ SENTIR VONTADE DE LHE VER
EU JÁ NEM SEI SE TENHO O DIREITO
DE CONFESSAR QUE GOSTO DE VOCÊ
VOLTE CORRENDO PARA OS MEUS BRAÇOS
PRECISO TER VOCÊ COMIGO
JÁ NÃO SUPORTO MAIS SUA AUSÊNCIA
SEREI SOMENTE SEU, SEREI SOMENTE SEU (BIS)

NO DELÍRIO DO AMOR
(Letra e Música de: JORGE LUIZ DA SILVA)

QUANDO EU PASSAR
VOCÊ NÃO VAI RESISTIR
VAI ME OLHAR, ME DESEJAR
E COMIGO SAIR.

VOU LHE ENSINAR

E LHE MOSTRAR
OS SEGREDOS DO AMOR.
VOCÊ VAI GOSTAR, SE DELICIAR
NO DELÍRIO DO AMOR.

VOCÊ VAI SENTIR
TANTAS COISAS QUE JAMAIS SENTIU
PRAZER E ALEGRIA, UM MUNDO DE CORES
COMO NUNCA SE VIU.
VOCÊ VAI SENTIR
TANTAS COISAS QUE JAMAIS SENTIU
PRAZER E ALEGRIA, UM MUNDO DE CORES
COMO NUNCA SE VIU.

RENASCENDO NA ESPERANÇA
Intérprete: Jorge Luiz
Autor e compositor: Jorge Luiz da Silva

Gina, Gina, Gina, Gina...
Amar você é dar sentido a uma vida que insiste em ser vazia
É esquecer tristeza, é despertar alegria.

Gina, Gina, Gina, Gina
Amar você é traduzir a minha estranha maneira de viver
É resumir saudade, distancia
E na esperança renascer.

Sem ter você o meu conforto é a lembrança
De um passado tão marcado pelo amor
E vou vivendo renascendo na esperança
De no futuro reviver o que passou

INDECISÃO
(Autor e compositor: J.B. Araújo)

HORA VOCÊ DIZ QUE SIM
OUTRA HORA VOCÊ VEM E DIZ QUE NÃO
MESMO ASSIM VOCÊ JÁ MANDA NO MEU CORAÇÃO
HOJE VAMOS POR UM FIM NA SUA INDECISÃO
EIS AÍ O GRANDE ACERTO NINGUÉM MAIS DIZ NÃO.

VÁ ATÉ A SUA CASA
E FAÇA TUDO QUE MELHOR NOS CONVÉM
SEI VOCÊ ESTÁ AMANDO E INDECISA TAMBÉM
FUJA PARA ONDE MORO A SEGUIR
NÃO TEMA NEM O QUE HÁ DE VIR
HOJE FAREI DE TUDO PRA LHE VER SORRIR.
SEMPRE QUE ME APROXIMO
ENLOUQUEÇO COM O SEU PERFUME
JURO NÃO ESTAR MENTINDO SINTO TANTO CIÚME
MEU BEM VOCÊ NASCEU PRA MIM
E EU NÃO VOU QUERER DEIXAR
QUE  OUTRO VENHA LHE CONQUISTAR.



O quarto disco: “A Grande Parada Nacional do Amor”



Alguns meses depois do lançamento do LP Zona Franca os produtores da Continental resolveram relançar as doze músicas, com os mesmos intérpretes, e Jorge Luiz entre os seis, desta feita no LP “A GRANDE PARADA NACIONAL DO AMOR” com o slogan: “Músicas para um milhão de amantes”, vendendo mais de quarenta mil cópias.

Os outros Intérpretes Participantes e as músicas gravadas:

Waldo Madureira (Guarda Noturno e Zona Franca)
Lenny Marcos (Coluna Social e Estrelka do Amor)
Demian (Maria da Madrugada e Palco da Noite)
Valter José (Volte prá Casa e Funcionária Exemplar)
Tony Favette (Vou Ficar Pois Aqui Sou Feliz e Chegou Minha Vez)


quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Lançamento no programa Carlos Aguiar na TV Gazeta, em São Paulo



Minha primeira apresentação na televisão em São Paulo foi registrada no programa de “Carlos Aguiar”, gravado em 9 de julho de 1979, no Teatro das Nações, na Avenida São João, numa segunda feira à noite, e levado ao ar no dia 15 de julho, às 14 horas, pela TV Gazeta, canal 11, quando do lançamento da música de minha autoria “No Delírio do Amor”.

Conquistei o 2º lugar, no quadro de lançamentos.

(Na foto estou segurando uma caixa com uma camisa que recebi de presente no programa,
ao lado do apresentador Carlos Aguiar e duas de suas bailarinas).

Houve um equívoco. Apresentaram-me como se eu fosse da Cidade de Sorocaba.
O produtor justificou depois que fizeram isso porque só poderiam se apresentar cantores novos do interior de São Paulo.

E o colunista Garcia Gambeiro na sua coluna “Discografando”, no Jornal Popular da Tarde repetiu o engano confirmando que eu era natural de Sorocaba.

Teor da matéria:
Jorge Luiz tem lançamento no mercado. Ele é de Sorocaba e está regular na música “No Delírio do Amor”, de sua autoria.

Foi publicado ainda uma nota na Coluna Recreação e Cultura.
“Pelo selo Condor, já está no mercado compacto-simples com o cantor Jorge Luiz, uma esperança para o futuro”.





O terceiro disco: “Projeto Zona Franca”



Os dois primeiros discos do cantor e compositor Jorge Luiz, gravado pelo selo Condor e prensado na Indústria Fonográfica da Continental, ultapassaram a casa das tres mil cópias, chamando a atenção de produtores musicais que acompanhavam de longe a caminhada do jovem artista.

Foi então que Sebastião Ferreira da Silva, compositor e também empresário, incentivado por J.B. Araújo, resolveu dar melhor oportunidade ao novo astro que despontava e o convidou para integrar o projeto “Zona Franca”, um LP com 12 músicas, estilo brega, tendo a participação de 6 novos cantores.
Para que Jorge Luiz assinasse com a Continental e integrasse o novo projeto, antes precisava se afastar oficialmente da Condor Disco.


Fato que aconteceu em 30 de julho de 1979, quando Clementino Torres, diretor-proprietário forneceu uma declaração assinada e com firma reconhecida, confirmando a liberação de Jorge Luiz.

O LP foi lançado com 12 músicas e 6 intérpretes.
Coube a Jorge Luiz interpretar “Vida Fácil”, composição de Eleu Salvador e Roberto dos Santos; e “No Pé da Mesa”, de Rivelindo, Leon e Jean Pierre.
Segundo informações, na época. O disco vendeu mais de 20.000 cópias.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Jorge Luiz e o Coral do Grupo da Idade Feliz


O Coral da idade feliz criado pela dedicada Tania Bastos, foi regido e acompanhado por Jorge Luiz, no período de 19 de janeiro de 1999 até o final de 2000.

Na foto a primeira apresentação pública, em 25 de março de 2000, registrada no palco da AABB, em Serrinha, em comemoração ao terceiro aniversário do grupo, que reunia o pessoal da terceira idade.

Participantes do grupo da Melhor Idade e do Coral
Adroilda, Anete Bacelar, Conceição, Débora, Dete, Edil Silva, Haidê, Iraci, Ivone, Josely, Lieta, Lourdes, Lucidalva, Maria Ernestina, Maria Leocádia, Lieta, Lucidalva, Maria Leocádia, Maria Marinho, Marlene, Ozana, Tereza, Terezinha, Vanda e Zezé.

Uma das integrantes do Coral inclusive resolveu escrever uma poesia para ser transformada em música, homenageando o Grupo da Idade Feliz.


Acordem Serrinhenses
Letra: Lourdes Carvalho

Acordem Serrinhenses
Venham ver a brincadeira
Vejam as belas senhoras
Desta terra brasileira

Tudo no mundo tem cor
Tudo no mondo é azul
Cor de rosa ou fruta cor
Vermelho, verde e amarelo
Quase tudo tem seu tom
Todas essas senhoras possuem o mesmo dom.

Acordem Serrinhenses
Venham ver a brincadeira
Vejam as belas senhoras
Desta terra brasileira

Virando mais uma página
No espaço onde vivemos
O Grupo da Idade Feliz, transformou-se
No paraíso sereno
Nas cores, mas não da solidão
Viraram só uma cor
A cor do imenso clarão.

Acordem Serrinhenses
Venham ver a brincadeira
Vejam as belas senhoras
Desta terra brasileira

No dia 21 de março de 1997
A sua fundação
O que vocês descobriram
Nestas senhoras tão belas
Pergunte as estrelas
Que dá a resposta a elas
Elas são serenas e suaves
Todas elas cantam o hino delas.

sábado, 3 de novembro de 2012

Cantando na Escola Normal de Serrinha


      No início do ano de 1971 passeando em Serrinha fui convidado para fazer uma apresentação na Escola Normal da minha cidade natal, que estava comemorando mais um ano de existência.
    Exatamente no dia 17 de março cantei algumas músicas para os alunos e professores daquela agremiação estudantil.

Na foto estou cantando a música Cândida, composição de Wine e Levine.
Versão de Rossini Pinto.
Música gravada em 1970, pelo conjunto musical The Fevers.

Relembre a letra

Cândida
composição de Wine e Levine.
Versão de Rossini Pinto

No céu, todo azul
Mil estrelas a brilhar
E eu sozinho, a esperar por você
Mas eu sei, que não virá
Pois não liga, mais pra mim
E acha que o nosso amor está no fim

Cândida
Eu vou por aí sem destino
Não passo de um peregrino
Que caminha sem razão

Cândida
Eu já não sou nada na vida
Procuro a sorte perdida
Vem me dar, a sua mão

Você, me revelou
Que era eu, o seu amor
E que nunca deixaria, de me amar
Mas logo veio alguém
Que roubou você de mim
E eu não consigo
E nem quero, me conformar.

Foto da Capa: superhitsmp3.net