JOLUSI FM (Rádio Web) Clique para ouvir

33Across

sábado, 29 de outubro de 2016

Academia do Nobel quer que Bob Dylan cante


Fonte: G1 Globo.com (Da France Presse)
Imagens: Reprodução e divulgação
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação itinerante do Blog MUSIBOL)

 (Foto: Fred Tanneau/AFP/Arquivo)
Ele pretende ir à premiação e diz a jornal que é 'difícil de acreditar'.
Academia Sueca diz que ele ligou e disse: 'Se eu aceito prêmio? É claro'.


Bob Dylan, em silêncio desde o anúncio de seu Prêmio Nobel de Literatura, anunciou, finalmente, que pretende buscar seu prêmio em Estocolmo. Encantada, a Academia sueca disse que o artista poderia agradecer cantando em 10 de dezembro.

O artista americano de 75 anos quebrou na sexta-feira o silêncio de mais de 10 dias sobre o Graal da literatura.

"É difícil de acreditar", disse o cantor e compositor americano ao jornal britânico Daily Telegraph. "Quem poderia sonhar com algo assim?".

Perguntado sobre se compareceria ao banquete que é oferecido aos laureados com o Nobel em Estocolmo no próximo 10 de dezembro, presidido pelo rei da Suécia, Carlos XVI Gustavo, Dylan respondeu: "Com certeza, se for possível".

Nesta hipótese, a secretária perpétua da Academia, Sara Danius, disse que "tudo seria feito" para tornar a estadia agradável, se não for tolerável, ao poeta-músico que prefere os trompetes às luzes da fama.

A única obrigação, de acordo com o estatuto da Fundação Nobel: "Deve se dirigir, de uma forma ou de outra, ao Nobel, pode ser por meio de um breve discurso, uma performance, um vídeo ou uma canção", lembrou Sara Danius, citada pela rádio pública SR.

"Espero que ele faça o que tiver vontade", acrescentou.

(Foto: Ki Price/Reuters/Arquivo)

Oito dias após o anúncio do prêmio, um proeminente membro da Academia sueca havia criticado o comportamento de Bob Dylan. "É rude e arrogante. É o que é", acusou Per Wastberg.

Sara Danius explicou que, desde então, conversou com Bob Dylan. Ele foi "humilde, simpático e engraçado", ela assegurou.


Foto: David Vincent/AP/Arquivo


Nobel

Bob Dylan, de 75 anos, foi anunciado no dia 13 de outubro como o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016. A escolha foi divulgada em um evento em Estocolmo, na Suécia. Além do título, Dylan, que é considerado um dos maiores nomes da música do século XX, poderá receber 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,9 milhões).

A opção por um músico – e não por um escritor de ofício – soa incomum, mas o nome do Dylan vinha sendo cotado havia muitos anos. Também poeta e com diversos livros lançados (veja lista abaixo), o artista é aclamado sobretudo pelo lirismo de suas letras. Desta vez, no entanto, ele não estava entre os favoritos nas casas de apostas.

Reconhecendo que o Nobel de literatura de 2016 pode parecer surpreendente, a secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, declarou que Dylan foi escolhido "por criar novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música americana".

A academia citou ainda que "Dylan tem o status de um ícone" e que "sua influência na música contemporânea é profunda". "Ele é provavelmente o maior poeta vivo", declarou Per Wastberg, membro da instituição.










A nota biográfica do prêmio afirma que "Dylan gravou um grande número de álbuns que giram em torno de temas como a condição humana, religião, política e amor". Dentre os clássicos compostos por ele, estão "Blowin' in the wind", "Subterranean homesick blues", "Mr. tambourine man" e "Like a rolling stone".




sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Tacão e Luizinho, amigos de infância


Texto, edição e arte: Jorge Luiz da Silva
Fotos e imagens: Arquivo pessoal Google e Facebook
Serrinha-BA. (Da redação Itinerante)






Quando eu fui morar na Rua Geru, em Aracaju nasceu uma grande amizade, após conhecer Luiz Tarcísio (Luizinho) e Otaviano Canuto Filho.

Ambos tocavam violão e eu tinha vontade de aprender.

Meu pai comprou um instrumento musical da marca Giannini e me deu de presente.

Os meus dois amigos sempre que possível me davam dicas e tiravam as minhas dúvidas.

A primeira música que aprendi a tocar foi: “É meu, é meu é meu”, composição de Roberto e Erasmo Carlos.

A sugestão foi de Tacão, dizendo que por ter apenas três acordes (LÁ, MI7 e RÉ), era mais fácil.



Naquele momento, tive a iniciativa de desenhar parte do braço do violão e marcar com pontinhos os trastes e as cordas que formavam os acordes.


Depois eu queria aprender a tocar o sucesso do saudoso Paulo Sérgio: Última Canção, mas Tacão me disse que era difícil para iniciante porque tinha muitos acordes...

Então, eu descobri que o meu ouvido já estava afinando e ouvindo no rádio consegui tirar todos os acordes. Não faltou nenhum.

No dia seguinte toquei a música pra Tacão e Luizinho e eles ficaram  surpresos...


Daí em diante eu passei a usar o ouvido e tirar os grandes sucessos...

Mesmo assim, quando surgia alguma dúvida eu consultava os meus dois amigos.

Algum tempos depois passei a integrar o Conjunto Musical “OS BÁRBAROS”...

Em seguida assumi a carreira solo cantando em programas de auditório e em vários grupos musicais.

Por sinal, quando fui convidado a fazer parte do Conjunto Musical das Irmãs “Coragem”, no interior sergipano, convidei o meu amigo Luizinho para me acompanhar como guitarrista base.


Vale destacar que hoje ainda tenho um repertório super variado, com mais de mil músicas...


quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Mariah Carey cancela todos os shows no Brasil e reclama de promotores


Fonte: G1.Globo.com
Fotos: Reprodução
Edição e arte: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)



 Mariah Carey se apresenta no Billboard Music Awards 2015,
(Foto: Chris Pizzello/Invision/AP)



‘Meus fãs merecem mais do que esse tratamento’, disse cantora no Twitter.
Estrela americana se apresentaria em Curitiba, São Paulo e Porto Alegre.




A cantora Mariah Carey cancelou todos os shows que faria no Brasil em novembro.

A informação foi confirmada nesta quarta-feira (26) pela assessoria do evento.

Nesta terça (25), a produtora da turnê brasileira da artista americana havia anunciado o cancelamento da apresentação em Curitiba, em 4 de novembro na Pedreira Paulo Leminski, mas manteve os shows em São Paulo, no dia 1º no Allianz Parque, e Porto Alegre, 5, no Beira-Rio.






Na madrugada desta quarta, porém, Mariah publicou no Twitter que estava “devastada” pelo cancelamento de parte de sua excursão pela América Latina.

Ela citou shows no Brasil, Chile e Argentina.

“Meus fãs merecem mais do que o tratamento que recebem de alguns desses promotores”, escreveu a estrela pop.

A assessoria não se pronunciou sobre o problema que levou à decisão de não realizar os shows.

Pelo Twitter, a cantora afirmou ainda que “fará de tudo” para vir à América Latina em 2017.

Mariah Carey tem 46 anos e já ganhou cinco prêmios Grammy. Ela é uma das artistas que mais vendeu discos na história, com 63 milhões de cópias só nos EUA. Em todo mundo, já vendeu mais de 250 milhões de discos na carreira.







A cantora americana foi apontada pela revista "Billboard" como a mulher que mais chegou ao primeiro lugar das paradas de sucesso e "We belong together'" foi escolhida como a canção da década passada por ficar 14 semanas consecutivas no posto mais alto.

Ela esteve no Brasil pela última vez em 2010, para se apresentar na Festa do Peão de Barretos.





)