sábado, 31 de maio de 2014

Planeta Terra Festival muda de formato em 2014



Por: Tate Montenegro. Fonte: Território da Música 
Foto: Marcelo Rossi
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)




 Blur no Planeta Terra 2013



Criado em 2007, o Planeta Terra Festival começou na Vila dos Galpões, passou três anos no Playcenter, em 2012 fez como o Lollapalooza e usou o Jockey Club e no ano passado foi transferido para o Campo de Marte. Ou seja, foram muitas mudanças em seis anos de festival. Mas nenhuma tão radical quanto a que acontecerá nessa próxima edição.

Todas as mudanças de casa do Planeta Terra até agora aconteceram dentro da cidade de São Paulo, mas em 2014 o festival vai se espalhar pelo Brasil. A exemplo de festivais como o Lollapalooza, que passam por diversas cidades, o Terra vai levar atrações nacionais e internacionais para diferentes estados durante o segundo semestre.

De acordo com o CEO Global do Terra, Paulo Castro, a ideia é “levar a experiência de Planeta Terra para públicos mais regionalizados, em um formato mais intimista, garantindo, claro, a mesma excelência de organização, já reconhecida nos últimos anos”.

As informações sobre datas, locais e programação serão divulgadas em breve. E dependendo do que vier por aí podemos nos preparar para uma procissão indie. Na última edição algumas das atrações foram Blur, Beck e Lana del Rey. Em anos anteriores o festival trouxe ao Brasil Iggy Pop, Pavement, Phoenix, The Strokes, Sonic Youth e Mika, entre outros.



sexta-feira, 30 de maio de 2014

Roberto Carlos diz que não vai tomar medida jurídica quanto ao novo livro



Fonte: G1 (SP)
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação itinerante do Blog MUSIBOL)


Capa de 'O réu e o rei' e o autor da obra,
Paulo Cesar de Araújo
(Foto: Divulgação e Bel Pedrosa)



Advogado analisou 'O réu e o rei', sobre biografia tirada das lojas em 2007.
Eles não veem 'invasão de privacidade, injúria ou difamação' em nova obra.



O advogado de Roberto Carlos disse nesta sexta-feira (30) que não vai tomar medidas jurídicas quanto ao novo livro "O réu e o rei". Paulo Cesar de Araujo, autor de uma biografia do cantor tirada de circulação em abril de 2007, lançou o livro sobre o caso na terça-feira (20). "O réu e o rei" fala sobre a polêmica proibição da obra anterior.

"Com relação ao livro “O Réu e o Rei”, Roberto Carlos não vai tomar qualquer medida jurídica, em face de: a) o livro não ser uma biografia sua, mas uma autobiografia do autor; b) ao contrário do livro anterior, não conter invasão de sua privacidade e/ou injurias ou difamações a sua pessoa. O livro 'Roberto Carlos em Detalhes' não foi censurado ou apreendido, mas saiu do mercado em face de um acordo judicial, irrevogável e definitivo, assinado espontaneamente pelo autor do livro, o editor e a Editora", diz o comunicado à imprensa, assinado pelo advogado Marco Antonio Bezerra Campos.

Análise

"O doutor Marco Antônio [Campos, advogado] está no circuito e vai nos dar parecer jurídico para nossa apreciação, e também do Kakay [Antônio Carlos de Almeida Castro, outro advogado]", disse Dody Sirena ao G1 logo após o lançamento de "O réu e o rei". A reação de Roberto ao novo livro será definida a partir deste parecer.

O trabalho chegou às livrarias sem campanha de divulgação pela editora. De acordo com a assessoria da editora Compahia das Letras, jamais houve um caso semelhante, em que uma obra da editora, fundada em 1986, não teve campanha publicitária. A tiragem de "O réu e o rei" (30 mil exemplares), no entanto, é superior à média. Com 528 páginas, o livro tem um título complementar que faz referência à biografia banida: "Minha história com Roberto Carlos, em detalhes".
Roberto Carlos fará o show de reabertura
da Pedreira Paulo Leminski no sábado (29)
(Foto: Divulgação)Roberto Carlos (Foto: Divulgação)

O livro sai duas semanas depois de a Câmara dos Deputados ter aprovado o projeto de lei que libera a venda de biografias não autorizadas pelos biografados ou por suas famílias, em caso de morte. O texto ainda precisa passar pelo Senado antes de ir à sanção presidencial.

O Supremo Tribunal Federal também deve analisar a ação que pede a liberação da publicação. O caso será decidido pelo Supremo durante o julgamento de ação proposta pela Associação Nacional dos Editores de Livros (Anel).

No processo, a associação afirma que a atual restrição imposta aos editores é incompatível com a liberdade de expressão e de informação. Os autores da ação pedem que o Supremo declare que não é necessário o consentimento do biografado para que o livro seja publicado.

Editor escreve em blog
O texto de apresentação de "O rei e réu" descreve o conteúdo citando a controvérsia do livro anterior. "Objeto de verdadeira polêmica pública, a batalha em torno da proibição de 'Roberto Carlos em detalhes' é o cerne de ‘O réu e o rei’", informa o material promocional.

"Paulo Cesar de Araújo conta a história da sua intensa relação com a música de Roberto Carlos, os 16 anos de pesquisa que embasaram a redação da biografia, e por fim os meandros de uma das mais comentadas e controversas guerras judiciais travadas recentemente no Brasil."

 No mesmo dia em que "O réu e o rei" chegou às livrarias, o editor da Companhia das Letras, Luiz Schwarcz, fez no blog da editora um post a favor da liberdade da publicação de biografias não autorizadas.

"Com essa publicação, procuramos relembrar um período de injustiças na qual outros escritores e editores – é importante não deixar de citar Ruy Castro, que conosco pelejou na justiça por muitos anos para ter sua biografia de Garrincha circulando livremente – foram cerceados", escreve Schwarcz.

"Serve como testemunho das dificuldades para escrever biografias independentes no Brasil. Com ele ['O réu e o rei'] a Companhia das Letras procura contribuir ativamente para a consolidação do direito do cidadão brasileiro ao conhecimento de fatos relevantes da vida das suas figuras públicas."

O editor afirma ser "coincidência" o fato de a obra ter saído logo depois da aprovação do projeto pela Câmara. Também diz que aprovou a proposta de "O réu e o rei" porque o "livro atendia bem às minhas duas intenções iniciais: trazer Paulo Cesar para a Companhia das Letras e marcar posição na luta pela liberdade das biografias".

Procure Saber
A liberdade de publicação de biografias ganhou mais destaque a partir do início de 2013, quando o grupo Procure Saber – então integrado por Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil, Roberto Carlos, Djavan, entre outros artistas, e presidido pela ex-mulher de Caetano Paula Lavigne – passou a defender a proibição de obras não autorizadas.

Os artistas diziam defender o direito à privacidade e destacavam as dificuldades em conseguir reparar, através de ações judiciais, os danos posteriores à publicação.


Os biógrafos, contudo, avaliam que a necessidade de autorização é censura prévia e fere a liberdade de expressão. Dizem que a necessidade de autorização defendida pelos artistas impediria a publicação de obras sobre personagens históricos, citando como exemplo a impossibilidade de se escrever sem interferências um texto sobre generais da ditadura ou sobre políticos.

O Código Civil brasileiro, em vigor desde 2003, diz que "a divulgação de escritos, a transmissão da palavra, ou a publicação, a exposição ou a utilização da imagem de uma pessoa poderão ser proibidas, a seu requerimento e sem prejuízo da indenização que couber, se lhe atingirem a honra, a boa fama ou a respeitabilidade, ou se se destinarem a fins comerciais".

Foi justamente essa regra permitiu que Roberto Carlos banisse, em abril de 2007, a biografia escrita por Paulo César de Araújo. "Roberto Carlos em detalhes" havia sido publicado pela Planeta em dezembro de 2006. A obra teve a produção e comercialização interrompidas após acordo judicial entre a editora e o cantor.

O Artigo 5º da Constituição Federal, entretanto, diz que "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" e atesta que "são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação".





A briga pela Legião Urbana continua



Por: Tate Montenegro. Fonte: Território da Música /
Foto: Reprodução
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)





Uma série de veículos publicou essa semana a notícia de que em breve seria lançado o site oficial da Legião Urbana. E foi assim que Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, os dois integrantes remanescentes da banda ficaram sabendo do site em questão.

O site será produzido pela Legião Urbana Produções Artísticas, empresa liderada por Giuliano Manfredini (filho de Renato Russo), e de acordo com o comunicado enviado por Dado e Bonfá “não conta com a participação, apoio ou qualquer tipo de consentimento e/ou autorização” por parte dos artistas.

Os músicos também afirmam que a empresa de Giuliano apagou um site já existente, desenvolvido pelas três partes com a colaboração dos fãs em 2010, para colocar no ar a página em construção que mostra um vídeo de Renato Russo e um botão que direciona para o site do cantor, lançado em março também pela Legião Urbana Produções Artísticas.

A empresa detém o registro da marca Legião Urbana devido a um processo que ocorreu ainda no começo da carreira da banda, mas Bonfá e Villa-Lobos lutam na justiça pelo reconhecimento de seus direitos. Leia mais sobre a disputa aqui. Os dois músicos não tiveram nenhum tipo de envolvimento nos projetos desenvolvidos com o nome da banda desde o falecimento de Renato, e nenhum produto novo poderá ser lançado (inclusive o site), enquanto o processo que corre hoje na Justiça seja resolvido, já que Bonfá e Villa-Lobos não cederam autorização para uso de imagem ou de gravações originais, conteúdo que seria utilizado no site de acordo com o anúncio publicado na imprensa.

O comunicado, publicado também no Facebook de ambos os artistas, ainda lembra outra declaração feita pela dupla juntamente à família Manfredini em 2009, que dizia “não existe Legião Urbana sem Renato, Dado e Bonfá”, e termina ilustrando a diferença entre vocalista e banda em letras maiúsculas:

“RENATO RUSSO = RENATO RUSSO
LEGIÃO URBANA = DADO VILLA-LOBOS + RENATO RUSSO + MARCELO BONFÁ”




quinta-feira, 29 de maio de 2014

O Réu e o Rei: Autor da biografia proibida de Roberto Carlos conta sua história



Por: Lizandra Pronin. Fonte: Territorio da Música.com
Foto: Reprodução
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)





Chegou às livrarias na semana passada o livro "O Réu e o Rei - Minha História com Roberto Carlos, em detalhes", de Paulo Cesar Araújo. Se você não pescou a ironia do título provavelmente não conhece a história da biografia do artista que foi tirada de circulação em 2007.

"Roberto Carlos em Detalhes", que o jornalista Paulo Cesar Araújo lançou pela Editora Planeta em 2006, teve sua primeira edição esgotada. Mas o artista, considerando que o livro não respeitava sua privacidade, entrou com uma ação na justiça e conseguiu impedir novas edições, além de retirar das prateleiras cerca de 11 mil exemplares.

A polêmica que se formou em torno do assunto ajudou a abrir um debate sobre a autorização de biografias pelos biografados. Artistas de renome como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Djavan e Chico Buarque chegaram a formar um grupo para defender os direitos do biografado, enquanto escritores apoiaram um projeto de lei para tornar desnecessária a autorização prévia.

Paulo Cesar Araújo resolveu escrever a história da proibição de seu livro, falando sobre os processos criminal e judicial nos quais se viu envolvido. E dessa experiência, nasceu "O Réu e o Rei - Minha História com Roberto Carlos, em detalhes" - é ele o réu do título da obra.

A introdução do livro traz o encontro do escritor com Roberto Carlos em 2007, na 20ª Vara do Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo, numa audiência de conciliação convocada pelo juiz Tércio Pires. O tom dessa introdução é de decepção com o ídolo.

Nessa mesma introdução, o escritor faz uma série de perguntas, às quais pretende responder ao longo do livro: "Como foi travada essa disputa judicial? Quais as artimanhas nos autos do processo?
O que aconteceu de fato naquela audiência? E mais: como surgiu a ideia do livro?
Qual o processo de construção de uma biografia? Quais os caminhos que percorri durante a pesquisa? Como foram as tentativas de entrevistar Roberto Carlos?
E afinal: por que o cantor teria ficado tão furioso com o livro?
Quais os recursos usados por seus advogados para obter a proibição da obra?
O que dizem as personalidades que se manifestaram contra Roberto Carlos ou a favor dele?
E quais os meus argumentos de defesa?"

"O Réu e o Rei - Minha História com Roberto Carlos, em detalhes" é um lançamento da Companhia das Letras (com 528 páginas e preço médio de R$ 45,00) e chegou às livrarias sem divulgação prévia.
O departamento jurídico que assessora Roberto Carlos, a pedido de seu empresário Dody Sirena, já está analisando o conteúdo da nova obra.

Vale comentar que a Câmara dos Deputados aprovou recentemente o projeto de lei do deputado Newton Lima (PT-SP) que libera a publicação de biografias sem autorização do biografado ou de seus familiares. Ainda falta a votação no Senado e a sanção presidencial para que a lei entre em vigor.




sábado, 24 de maio de 2014

Yes divulga detalhes do primeiro álbum com novo vocalista



Por: Eduardo Guimarães. Fonte: Territorio da Música.com 
Foto: Reprodução . Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)





Quantas bandas conseguiram levar a carreira por mais de quatro décadas e lançar mais de 20 discos de estúdio? O Yes é um dos poucos nomes que têm essas marcas na história e anuncia mais um item para aumentar estes números: o novo disco com material inédito, "Heaven & Earth".

Este será o primeiro registro oficial da veterana banda de rock progressivo com a nova formação, contando com o vocalista norte-americano Jon Davison. Esta formação está junta desde 2012 e traz os músicos Chris Squire (baixo), Steve Howe (guitarra), Alan White (bateria) e Geoff Downes (teclado) além do vocalista.

O álbum "Heaven & Earth" trará oito faixas no repertório. O material foi produzido por Roy Thomas Baker e o lançamento nos Estados Unidos está agendado para o dia 08 de julho. Mais uma vez a arte da capa ficou sob responsabilidade de Roger Dean, com quem abanda trabalha há anos.


Confira o repertório:

01. Believe Again
02. The Game
03. Step Beyond
04. To Ascend
05. In a World of Our Own
06. Light of the Ages
07. It Was All We Knew
08. Subway Walls





sexta-feira, 23 de maio de 2014

Capital Inicial a todo vapor na sequência de “Saturno”


Por: Eduardo Guimarães Fonte: Território da Música
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)

Foto: Reprodução



Além de continuar em turnê divulgando o mais recente trabalho, “Saturno”, a banda Capital Inicial trabalha na produção do próximo álbum de estúdio. Este novo disco ainda não tem nome definido, nem data para chegar às lojas, mas os trabalhos seguem com força total.

Desde o final de abril o grupo tem informado aos fãs através do Facebook sobre as etapas do novo trabalho. No início desta semana foram publicadas algumas fotos dos bastidores da sessão com o fotógrafo Gabriel Wickbold que resultarão nas imagens de divulgação do novo disco.

O novo disco contará com pelo menos um convidado especial, Thiago Castanho, ex-integrante do Charlie Brown Jr. As gravações estão sendo realizadas no estúdio Nas Nuvens, no Rio de Janeiro, de propriedade do produtor e músico Liminha.

“Saturno”, que por enquanto é o último disco do grupo, foi lançado no final de 2012.






quinta-feira, 22 de maio de 2014

Guitarrista Ted Nugent lança "Shutup&Jam!" em julho


Por: Lizandra Pronin. Fonte: Territorio da Música.com
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)


 Foto: Reprodução

O polêmico e rabugento guitarrista norte-americano Ted Nugent está com o novo disco pronto. "Shutup&Jam!" chega ao mercado internacional no próximo dia 08 de julho e é o primeiro álbum de estúdio do músico desde "Love Grenade", lançado em 2007.

No disco, o guitarrista é acompanhado por Greg Smith (baixo), Mick Brown (bateria) e Derek St. Holmes (voz, guitarra). O disco ainda traz Sammy Hagar fazendo uma participação especial na faixa "She's Gone". Confira o repertório completo de

01. Shutup&Jam!
02. Fear Itself
03. Everything Matters
04. She's Gone
05. Never Stop Believing
06. I Still Believe
07. I Love My Bbq
08. Throttledown
09. Do-Rags And A .45
10. Screaming Eagles
11. Semper Fi
12. Trample The Weak Hurdle The Dead
13. Never Stop Believing (Blues)

Além da música, Ted Nugent ficou conhecido por ser um apreciador de armas e de caçadas - ele defende essas causas abertamente e chegou a cogitar sua candidatura a governador de Michigan, pelo partido Republicano. Considerado um conservador extremista, obviamente, costuma ser odiado pelos Democratas e evitado pela classe artística norte-americana em geral.





quarta-feira, 21 de maio de 2014

“Volte Correndo” o carro chefe do segundo disco






A música “VOLTE CORRENDO” foi o carro chefe do meu segundo disco.
Composição de J.B. Araújo, que balançou muitos corações apaixonados com a beleza dos seus versos e o romantismo de sua melodia.

“Indecisão” foi outra composição de J.B. Araújo que fez parte do compacto-duplo gravado em março de 1979.

As outras duas composições são de minha autoria.
“Renascendo na Esperança”
E “No Delírio do Amor”.

Justamente porque o primeiro disco havia vendido pouco mais de 1.100 cópias ficou mais fácil gravar o segundo, desta feita nos “Estúdios Reunidos”, na Avenida Paulista, 4º andar, no prédio da TV Gazeta, nº 900, em São Paulo.

Nele a gravadora Condor investiu numa capa colorida, com direito ainda a uma foto preto e branco na contra-capa.

 Sendo publicado também um encarte com fotos em preto e branco e a partitura da música “VOLTE CORRENDO”.




terça-feira, 20 de maio de 2014

PRIMEIRO SUCESSO ROMÂNTICO






Meu primeiro disco, um compacto-simples, gravado em 1978 foi bem recebido, inicialmente pelos amigos admiradores.

O Sr. Dirceu, gerente do estabelecimento bancário onde eu trabalhava, em São Paulo foi o primeiro a comprar a minha “bolacha preta”. E comprou logo duas.


No decorrer daquele ano foram vendidos cerca de 1.100 discos abrindo espaço para a gravação do segundo trabalho musical no ano seguinte.

 Em algumas emissoras de rádio da Capital e do interior paulista podia se ouvir na época com bastante frequência “QUERO QUE SEJA FELIZ” e “NÃO VIVO SEM VOCÊ”.

Depois esses dois sucessos foram ouvidos em algumas emissoras de rádio da Bahia e de Sergipe.

Confira a letra do primeiro sucesso romântico:







Mick Jagger ganha bisneta, diz jornal


Fonte: G1 (São Paulo).
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)


Mick Jagger, dos Rolling Stones, em NY (Foto: Dave Allocca / Starpix / Via AP Photo)

Assisi Jackson, neta do cantor, deu à luz, disse nesta segunda o 'Daily Mail'.
Agora bisavô, líder dos Rolling Stones completou 70 anos em julho de 2013.

Mick Jagger se tornou bisavô aos 70 anos, disse nesta segunda-feira (19) o tabloide britânico "Daily Mail". Segundo a publicação, a neta do cantor dos Rolling Stones, Assisi, de 21 anos, deu à luz uma menina.

Assisi é filha de Jade Jagger, de 42 anos. A avó teria assinado um acordo com uma revista para a divulgação exclusiva das fotos do bebê, segundo o "Daily Mail".

Feliz com gravidez
O septuagenário líder dos Rolling Stones ficou muito feliz com a notícia da gravidez, segundo sua neta, em declaração à revista "Hello" no final de 2013. A filha do roqueiro, Jade, no entanto, admitiu que Jagger não parece gostar da ideia de envelhecer nem de ser chamado de bisavô.

Segundo a neta do músico, ter filhos muito jovem é normal na família, pois sua mãe ficou grávida quando tinha 20 anos. "As mulheres em nossa família costumam ter filhos jovens, está nos genes", afirmou Assisi, que contou não levar uma vida desregrada como de seus amigos, que saem muito, bebem e fumam. Mick Jagger é pai de sete filhos.


Da esq. para dir., Assisi Jackson, Bianca Jagger, Jade Jagger e Amba Jackson participam de um evento beneficente em Londres, em outubro de 2011
(Foto: Dave M. Benett/Getty Images)





segunda-feira, 19 de maio de 2014

O PRIMEIRO SUCESSO






O primeiro disco gravado em 28 de abril de 1978pelo Selo Condor, no S.B.S.
(Stúdio Brasileiro do Som), em São Paulo.
Foram gravadas duas composições
de minha autoria
no meu primeiro Compacto-Simples:

"Quero Que Seja Feliz"
e "Não Vivo Sem Você".






A escalada de um ídolo









Paul McCartney cancela dois shows em Tóquio por motivos de saúde


Da Agencia EFE. Fonte: G1
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação Itinerante)



Paul McCartney durante show em Orlando,
em 18 de maio de 2013 (Foto: AP Photo/ John Raoux)


Ex-beatle não se recuperou de uma virose, segundo comunicado.
Por enquanto, seguem programados seus outros dois concertos no Japão.

O ex-beatle Paul McCartney cancelou dois concertos previstos para domingo (18) e segunda-feira (19) na capital japonesa 'por motivos de saúde', anunciou o próprio artista em comunicado.
Após atrasar para segunda-feira sua atuação programada para ontem, o músico britânico afirmou neste domingo que não se recuperou de uma virose, por isso que os organizadores de sua turnê no Japão decidiram adiar de forma indefinida essa atuação e a prevista para esta noite.
"Infelizmente meu estado não melhorou de um dia para outro. Estava desejando me sentir melhor hoje. Peço desculpas por ter que dizer isso aos meus seguidores", assinalou o artista em comunicado em seu conta no Twitter.

O músico pretendia comparecer perante seu público esta noite na capital japonesa "contra indicação dos doutores", mas estes lhe pediram para não abusar, diz a nota, que também acrescenta que McCartney "só teve que reprogramar poucos 'shows' em toda sua carreira".
O ex-beatle também se mostrou "comovido" pelas "várias mensagens de afeto e de apoio" que recebeu após divulgar que se encontrava doente.

Por enquanto, continuam previstos seus outros dois concertos programados dentro de sua turnê japonesa, previstos para na quarta-feira também em Tóquio e no próximo sábado em Osaka.


Fã japonês de Paul McCartney lamenta o cancelamento dos shows
(Foto: Toru Hanai/Reuters)